Propriedades Nutricionais Das Nozes

As nozes são frutas secas conhecidas devido ao alto valor nutricional, cujo consumo imagina-se ter iniciado em 7300 a.c., nas proximidades do Mediterrâneo. Possuem bons teores de lipídeos, cerca de 40% a 60%, destacando-se o perfil dos ácidos graxos, sobretudo com relação a concentração de ácidos graxos saturados, mono e poli-insaturados, e a relação ω-6:ω-3. Também contêm de 8% a 20% de proteínas, incluindo proteínas fontes de aminoácidos essenciais, além de micronutrientes e compostos bioativos, como os compostos fenólicos.
A quantidade de ácidos graxos saturados costuma ser baixa, predominando os ácidos palmítico (16: 0) e esteárico (18: 0). Embora não haja nenhum estudo específico sobre o consumo desse alimentos, pesquisas epidemiológicas demonstram que o consumo regular de nozes (30-100g/dia) estaria associado a prevenção de doença cardiovascular (DCV), doença cardíaca coronária (DCC), e diabetes (DM), benefício provavelmente relacionada ao seu teor de ácidos graxos mono e poli-insaturados (ômega-6 e ômega-3), fato que reforça a indicação de consumo de nozes em dietas como a Mediterrânea.
Entre os compostos bioativos presentes nas nozes, apesar de aparecerem em baixas quantidades, destacam-se ácido fenólico, resveratrol, tocoferol e flavonoides, conferindo propriedades antioxidante e anti-inflamatória e fornecendo proteção contra carcinogênese e doenças aterogênicas.
A combinação desses compostos bioativos com os ácidos graxos poli-insaturados faz com que as nozes sejam reconhecidas, também, pelas suas propriedades cognitivas e de proteção para o cérebro, uma vez que os compostos polifenólicos reduzem a carga oxidante e inflamatória nas células cerebrais, além de melhorarem a sinalização interneuronal, aumentarem a neurogênese e o sequestro de agregados de proteínas tóxicas insolúveis, que prejudicam o funcionamento cerebral. EPA e DHA, substâncias presentes da fração ômega-3 de ácidos graxos poli-insaturados, apresentam importante função cognitiva, sendo indicado principalmente para idosos a fim de prevenir demências, convulsão e outras doenças neurológicas. Em estudos com animais, o consumo de nozes foi associado a melhora da aprendizagem, memória, equilíbrio, coordenação motora e menor ansiedade.
Assim, embora o consumo de nozes seja tradicional apenas no Natal, vale incentivar seu consumo ao longo do ano, uma vez que, aliado a uma alimentação saudável e equilibrada, traz inúmeros  benefícios se consumida regularmente.
Referências:                                                                            
FREITAS, Jullyana Borges; NAVES, Maria Margareth Veloso. Composição química de nozes e sementes comestíveis e sua relação com a nutrição e saúde. Revista de Nutrição, [s.l.], v. 23, n. 2, p.269-279, abr. 2010. FapUNIFESP (SciELO).
HARDMAN, W. Elaine. Walnuts Have Potential for Cancer Prevention and Treatment in Mice. The Journal Of Nutrition, [s.l.], v. 144, n. 4, p.555-560, 5 fev. 2014. Oxford University Press (OUP).
HAYES, David et al. Walnuts (Juglans regia) Chemical Composition and Research in Human Health. Critical Reviews In Food Science And Nutrition, [s.l.], v. 56, n. 8, p.1231-1241, 6 mar. 2015. Informa UK Limited.
POULOSE, Shibu M.; MILLER, Marshall G.; SHUKITT-HALE, Barbara. Role of Walnuts in Maintaining Brain Health with Age. The Journal Of Nutrition, [s.l.], v. 144, n. 4, 5 fev. 2014. Oxford University Press (OUP).