Microbioma – Assunto Fantástico

Eu comecei a me interessar pelo tema de Microbiota (vou usar nesta matéria o termo Microbioma que vem do inglês Microbiome) – Pois bem, esse tema chamou minha atenção quando em análise, cheguei à conclusão que o “Nutricionista” precisa está antenado quanto a esse assunto, que nos promove um embasamento vasto de como conduzir o plano alimentar em pacientes que faz uso de medicamentos diário e que esses possam vir a comprometer o seu sistema imunológico. É importante também estarmos bem orientados quanto a questão de medicamentos e alimentos. Poder orientar o paciente de maneira segura e eficaz.
O microbioma é definido como “comunidade de micróbios”, e a grande maioria das espécies bacterianas que compõem nosso microbioma vivem no sistema digestivo.
De acordo com o Departamento de Química e Bioquímica da Universidade do Colorado, a microbiota humana consiste em 10 a 100 trilhões de células microbianas simbióticas albergadas por pessoa, principalmente bactérias intestinais.
O “microbioma” humano consiste nos genes que essas células possuem.
Elas ajudam a determinar o DNA exclusivo, fatores hereditários, predisposição a doenças, tipo corporal e muito mais.
O microbioma é diferente de outros órgãos, pois não está localizado apenas em um local e não é muito grande; além de ter papéis de grande alcance que estão ligados a funções corporais diferentes.
Alguns pesquisadores disseram que até 90% de todas as doenças, podem ser rastreadas de alguma forma de volta ao intestino e à saúde do microbioma.
Ela é o lar de trilhões de micróbios, bactérias e diversos organismos que ajudam a governar quase todas as funções do corpo humano, de alguma forma.
Ao longo da vida, ajudamos a moldar nossos próprios microbiomas – além de se adaptarem às mudanças em nosso ambiente.
Para Manter Um Microbioma Forte
1. Evite Os Antibióticos
Os antibióticos podem eliminar as bactérias boas do organismo, o que significa que eles podem diminuir a função imunológica e aumentar o risco de infecções, alergias e doenças durante esse tempo.
Ao longo do tempo, bactérias perigosas podem se tornar resistentes aos antibióticos, tornando as infecções graves e mais difíceis de lutar.
Antes de tomar antibióticos ou entregá-los a seus filhos, fale com o seu médico sobre opções alternativas.
2. Baixar A Tensão E Mais Exercícios
O estresse dificulta a função imunológica, porque seu corpo desviará a energia de lutar contra infecções e colocará em preocupações primárias.  
Quando o corpo pensa que está enfrentando um perigo imediato, você se torna mais suscetível a infecções e experimenta sintomas mais graves ao mesmo tempo que desenvolve níveis mais altos de inflamação.
O estresse provoca compostos imunes conhecidos como citocinas para contribuir com a resposta inflamatória que danifica as células saudáveis.
O exercício físico é um analgésico natural que pode ajudar a diminuir a inflamações, equilibrar os hormônios e fortalecer o sistema imunológico.
3- Probióticos
Opte por alimentos saudáveis, principalmente os probióticos que cuidam da saúde intestinal e aumentam a imunidade.
Entre eles estão: derivados de kefir, vinagre de maça, chocolate amargo (ao menos 70% cacau), kombucha, kimchi, ervilhas, entre outros alimentos.
Para cuidar da saúde da microbioma e de todo o organismo, é essencial mudar os hábitos alimentares.