Que superalimentos devemos ingerir e porquê?


Que superalimentos devemos ingerir e porquê?
Frutas e verduras no geral: Consumir mais frutas e vegetais diminui o risco de doenças cardiovasculares, doenças degenerativas, câncer, hipertensão, obesidade, diabetes e tantas outras. Ao Escolher aquelas de cor intensa, saiba que lhe trarão maiores benefícios.
Brócolis:
É um ótimo antioxidante e anticancerígeno. Este vegetal contém fibras, o que ajuda a regular o trânsito intestinal, minerais e vitaminas Grupo B, como o ácido fólico.
Alho e cebola:
Possuem uma ação diurética, bactericida e fungicida.
Frutos vermelhos:
São ricos em antioxidantes e neutralizam os radicais livres. Também possuem propriedades anti-inflamatórias.
Abacate:
Rico em gorduras monoinsaturadas, especialmente ácido oleico, também presentes no azeite, amêndoas e nozes, que ajudam a aumentar o colesterol bom e a prevenir a aterosclerose (doença vascular crónica). Além disso, este fruto possui um forte antioxidante – vitamina E, ideal para a pele e cabelo. Atenção que o abacate contém mais calorias que as restantes das frutas, por isso, é fundamental moderar a sua ingestão.
Nozes:
É um fruto seco, a noz contém as chamadas gorduras boas, como o ómega 3, que ajuda a regular o colesterol e tem um efeito anti-inflamatório. Contudo, não devemos abusar do seu consumo por causa das calorias.
Sementes de Chia:
Rica em fibra solúvel para reduzir o colesterol e regular a glicose no sangue e fibras insolúveis. Ambos ajudam a regular a função intestinal.
Peixe azul:
Possui múltiplos benefícios pelo tipo de gordura que possuem, o ómega 3, o peixe azul é benéfico na regulação da pressão arterial e do bom colesterol. Trata-se de um excelente anti-inflamatório.
Algas:
A Spirulina apresenta um perfil nutricional bastante rico que a torna um superalimento. Apesar da sua utilização ser milenar, é considerado como um alimento do futuro. É muito utilizado como um suplemento dietético e a Organização Mundial de Saúde recomenda que seja a solução para aliviar a deficiência nutricional no mundo.
Leite:
Não poderemos deixar de falar deste superalimento, vital nos primeiros meses da vida humana, embora não seja considerado tão importante quanto começamos a ingerir os restantes alimentos sólidos. Vamos pensar sobre o desenvolvimento físico, emocional e psicológico que ocorre nesta primeira fase da vida. Durante os primeiros meses, o leite materno ou leite preparado representam a base nutricional para o desenvolvimento. Este é o único alimento que pode ser processado no sistema digestivo de uma criança. Após 6 meses, ocorre a introdução gradual dos alimentos sólidos, podendo reduzir o seu consumo, porém o leite é a principal fonte nutricional no primeiro ano de vida de um ser humano.
Azeite extra virgem:
É considerado o melhor óleo para ser consumido, pelo seu conteúdo de ácidos gordos essenciais (ómega 3 e ómega 6, com alto teor de antioxidantes, como a vitamina E, polifenóis com poder anti-inflamatório. Tornando-se um alimento benéfico para a prevenção de doenças cardiovasculares.