Manter A Saúde Dos Ossos

Estudo demonstra que as necessidades nutricionais para manter a saúde dos nossos ossos mudam com a idade

http://share.iofbonehealth.org/WOD/2015/thematic-report/WOD15-Report-PT_BR.pdf

Uma dieta alimentar adequada , seja você adulto ou idoso, pode fazer a grande diferença para a saúde dos seus ossos e influenciar na sua capacidade de viver uma vida plena, saudável e livre de fraturas  até a terceira idade. Essa é a principal conclusão do estudo  científico publicado, hoje, no jornal Osteoporosis International, pelos principais especialistas em saúde óssea e nutrição em antecipação do Dia Mundial de Combate à Osteoporose  observado anualmente no dia  20 de outubro.

O estudo sintetiza as últimas evidências relativas às necessidades nutricionais de mães, crianças, adolescentes, adultos e idosos para o desenvolvimento e manutenção de uma estrutura óssea saudável destacando a importância da ingestão adequada de cálcio, vitamina D e proteína proteínas entre outros nutrientes contribuem para a boa saúde dos ossos, obtendo: Atingir o potencial genético para o máximo pico de massa óssea em crianças e adolescentes, evitar a perda prematura de massa óssea e a manutenção de um esqueleto saudável  em adultos, prevenção e tratamento da osteoporose em idosos

Além disso, a análise inclui conclusões de estudos e ensaios internacionais  com orientações alimentares atualizadas. Para Cyrus Cooper, professor, coautor e presidente do Comitê de Assessores Científicos da Fundação Internacional de Osteoporose (IOF),  “este novo relatório mostra como o quanto  a nutrição é importante para nossa saúde óssea ao longo da vida. Na verdade, a nutrição desempenha um papel fundamental no desenvolvimento de um esqueleto saudável mesmo antes do nascimento. Dietas saudáveis maternas bem como níveis adequados de vitamina D estão associadas com maior massa óssea no bebê”, explica.

O estudo alerta também para o estilo de vida que pode levar à má alimentação e deficiências de nutrientes como uma causa crescente de preocupação em pessoas de todas as idades, especialmente em crianças. Leite e produtos lácteos são as principais fontes de cálcio para  maioria das crianças. Porém, nas últimas décadas, a diminuição do consumo de leite foi  constatada em todo o mundo. Além disso, a insuficiência de vitamina D é generalizada entre os jovens, o que levou a recomendações em vários países para suplementos de vitamina D para lactentes e crianças jovens.

Em adultos e idosos, estudos têm mostrado que a ingestão de cálcio é consideravelmente  inferior aos níveis recomendados pelas diretrizes nacionais. Da mesma forma, assustadoramente baixos níveis de vitamina D foram encontrados em populações em todo o mundo, inclusive na América Latina. Fatores de estilo de vida como uma alta ou baixa massa corporal (IMC), tabagismo e consumo excessivo de álcool também elevam o risco de fratura para um número substancial de pessoas.

O estudo também aborda o impacto da nutrição na prevenção de quedas e fraturas em adultos mais velhos, um segmento crescente da população mais afetada pela osteoporose. Análise  mostra como o déficit na ingestão de proteínas pode afetar negativamente sua saúde óssea e muscular. Atividade física apropriada e  uma alimentação adequada, principalmente em indivíduos com alto risco de fratura desempenham um importante papel complementar a farmacoterapia. Isto é de especial importância na América Latina, onde, devido ao envelhecimento da população, o número de fraturas de quadril em adultos com idade acima de 65 anos aumentará em  700% de 1990 até 2050.

A geração baby boomer está mais velha e, como resultado, doenças musculoesqueléticas relacionadas ao envelhecimento estão impondo um fardo cada vez mais caro nos sistemas de saúde em todo o mundo. “Este relatório mostra como podemos alcançar o máximo do potencial da alimentação saudável para prevenir o surgimento da osteoporose”, afirma o remautologista e professor Cristiano Zerbini, membro da IOF e diretor do centro Paulista de Investigações Clínicas e Coordenador do Núcleo de Reumatologia do Hospital Sírio-Libanês

A revisão científica complementa um abrangente relatório intitulado Nutrição Saudável, Ossos Saudáveis. Como os fatores nutricionais afetam a saúde musculoesquelética ao longo da vida também lançado hoje. O relatório está disponível livremente em nove idiomas (incluindo português e espanhol), juntamente com uma riqueza de recursos de campanha do dia de osteoporose do mundo: http://share.iofbonehealth.org/WOD/2015/thematic-report/WOD15-Report-PT_BR.pdf

Fundação Internacional de Osteoporose

A Fundação Internacional de Osteoporose (IOF) é entidade sem fins lucrativos dedicada à luta contra a osteoporose e doenças musculoesqueléticas relacionadas em todo o mundo. Membros do IOF – pesquisadores científicos, paciente, médico e as sociedades de pesquisa e representantes da indústria de todo o mundo – compartilham uma visão comum de um mundo sem fraturas osteoporóticas. Com sede na Suíça, atualmente inclui 232 sociedades membro em 98 países, regiões e territórios. Entre seus numerosos programas e atividades, a IOF mobiliza o movimento global de osteoporose no Dia Mundial da Osteoporose  em 20 de outubro de cada ano. www.iofbonehealth.org; www.facebook.com/iofbonehealth; http://twitter.com/iofbonehealth;

Dia Mundial de Combate à Osteoporose

O Dia Mundial de Combate à  Osteoporose é observado anualmente em 20 de outubro e marca o início de um ano de campanha dedicada à conscientização global de prevenção, diagnóstico e tratamento da osteoporose e doenças musculoesqueléticas relacionadas. Liderados pela Fundação Internacional de osteoporose (IOF), gera a atenção da mídia mundial e apoia campanhas de conscientização pública, organizadas por mais de 200 médicos e paciente de osteoporose nacional das sociedades de todo o mundo.

ma dieta alimentar adequada , seja você adulto ou idoso, pode fazer a grande diferença para a saúde dos seus ossos e influenciar na sua capacidade de viver uma vida plena, saudável e livre de fraturas  até a terceira idade. Essa é a principal conclusão do estudo  científico publicado, hoje, no jornal Osteoporosis International, pelos principais especialistas em saúde óssea e nutrição em antecipação do Dia Mundial de Combate à Osteoporose  observado anualmente no dia  20 de outubro.

O estudo sintetiza as últimas evidências relativas às necessidades nutricionais de mães, crianças, adolescentes, adultos e idosos para o desenvolvimento e manutenção de uma estrutura óssea saudável destacando a importância da ingestão adequada de cálcio, vitamina D e proteína proteínas entre outros nutrientes contribuem para a boa saúde dos ossos, obtendo: Atingir o potencial genético para o máximo pico de massa óssea em crianças e adolescentes, evitar a perda prematura de massa óssea e a manutenção de um esqueleto saudável  em adultos, prevenção e tratamento da osteoporose em idosos

Além disso, a análise inclui conclusões de estudos e ensaios internacionais  com orientações alimentares atualizadas. Para Cyrus Cooper, professor, coautor e presidente do Comitê de Assessores Científicos da Fundação Internacional de Osteoporose (IOF),  “este novo relatório mostra como o quanto  a nutrição é importante para nossa saúde óssea ao longo da vida. Na verdade, a nutrição desempenha um papel fundamental no desenvolvimento de um esqueleto saudável mesmo antes do nascimento. Dietas saudáveis maternas bem como níveis adequados de vitamina D estão associadas com maior massa óssea no bebê”, explica.

O estudo alerta também para o estilo de vida que pode levar à má alimentação e deficiências de nutrientes como uma causa crescente de preocupação em pessoas de todas as idades, especialmente em crianças. Leite e produtos lácteos são as principais fontes de cálcio para  maioria das crianças. Porém, nas últimas décadas, a diminuição do consumo de leite foi  constatada em todo o mundo. Além disso, a insuficiência de vitamina D é generalizada entre os jovens, o que levou a recomendações em vários países para suplementos de vitamina D para lactentes e crianças jovens.

Em adultos e idosos, estudos têm mostrado que a ingestão de cálcio é consideravelmente  inferior aos níveis recomendados pelas diretrizes nacionais. Da mesma forma, assustadoramente baixos níveis de vitamina D foram encontrados em populações em todo o mundo, inclusive na América Latina. Fatores de estilo de vida como uma alta ou baixa massa corporal (IMC), tabagismo e consumo excessivo de álcool também elevam o risco de fratura para um número substancial de pessoas.

O estudo também aborda o impacto da nutrição na prevenção de quedas e fraturas em adultos mais velhos, um segmento crescente da população mais afetada pela osteoporose. Análise  mostra como o déficit na ingestão de proteínas pode afetar negativamente sua saúde óssea e muscular. Atividade física apropriada e  uma alimentação adequada, principalmente em indivíduos com alto risco de fratura desempenham um importante papel complementar a farmacoterapia. Isto é de especial importância na América Latina, onde, devido ao envelhecimento da população, o número de fraturas de quadril em adultos com idade acima de 65 anos aumentará em  700% de 1990 até 2050.

A geração baby boomer está mais velha e, como resultado, doenças musculoesqueléticas relacionadas ao envelhecimento estão impondo um fardo cada vez mais caro nos sistemas de saúde em todo o mundo. “Este relatório mostra como podemos alcançar o máximo do potencial da alimentação saudável para prevenir o surgimento da osteoporose”, afirma o remautologista e professor Cristiano Zerbini, membro da IOF e diretor do centro Paulista de Investigações Clínicas e Coordenador do Núcleo de Reumatologia do Hospital Sírio-Libanês

A revisão científica complementa um abrangente relatório intitulado Nutrição Saudável, Ossos Saudáveis. Como os fatores nutricionais afetam a saúde musculoesquelética ao longo da vida também lançado hoje. O relatório está disponível livremente em nove idiomas (incluindo português e espanhol), juntamente com uma riqueza de recursos de campanha do dia de osteoporose do mundo.

Fundação Internacional de Osteoporose

A Fundação Internacional de Osteoporose (IOF) é entidade sem fins lucrativos dedicada à luta contra a osteoporose e doenças musculoesqueléticas relacionadas em todo o mundo. Membros do IOF – pesquisadores científicos, paciente, médico e as sociedades de pesquisa e representantes da indústria de todo o mundo – compartilham uma visão comum de um mundo sem fraturas osteoporóticas. Com sede na Suíça, atualmente inclui 232 sociedades membro em 98 países, regiões e territórios. Entre seus numerosos programas e atividades, a IOF mobiliza o movimento global de osteoporose no Dia Mundial da Osteoporose  em 20 de outubro de cada ano.

Dia Mundial de Combate à Osteoporose

O Dia Mundial de Combate à  Osteoporose é observado anualmente em 20 de outubro e marca o início de um ano de campanha dedicada à conscientização global de prevenção, diagnóstico e tratamento da osteoporose e doenças musculoesqueléticas relacionadas. Liderados pela Fundação Internacional de osteoporose (IOF), gera a atenção da mídia mundial e apoia campanhas de conscientização pública, organizadas por mais de 200 médicos e paciente de osteoporose nacional das sociedades de todo o mundo.